Economistas ajudam você a fazer dieta

Economistas ajudam você a fazer dieta

Data de publicação: 15/01/2015

Samy Dana

 

Quando estamos no auge da comilança do fim de semana, é comum para muitos jurar começar a dieta na segunda-feira. Cortar calorias em pleno almoço de família no domingo parece absurdo – muito mais fácil deixar isso para o início da semana. E para nós, naquele momento, faz todo o sentido: você aproveita o que tem que aproveitar nos dias de descanso, com a tranquilidade de que na segunda, tudo vai mudar. Já que vai começar a dieta no dia seguinte, você aproveita, inclusive, para repetir a sobremesa –afinal, vai saber quando você vai poder comer uma fatia de bolo de novo.

 

No entanto, chega segunda-feira e nada, além do calendário e do nosso peso na balança, mudou. A fome é a mesma, e o desejo de comer, também.

 

A essência do problema em deixar a dieta para o começo da semana é o mesmo de todas as outras questões de autocontrole: quando as escolhas e suas consequências estão separadas no tempo, como afirmam Richard Thaler e Cass Sunstein no livro "Nudge: O Empurrão para a Escolha Certa". Ou seja: se você precisa abrir mão de algo hoje para fazer uma escolha que trará benefícios somente no médio e longo prazo, você está encrencado.

 

A tentação da satisfação momentânea é muito maior do que o benefício percebido no futuro. Pular a sobremesa, assim como segurar as compras de impulso ou até ceder à tentação de trocar a esteira pelo sofá são problemas que possuem a mesma raiz, a nossa dificuldade de fazer hoje o que podemos deixar para amanhã.

 

Com base na teoria da economia comportamental, o segredo para lidar com a procrastinação e o autocontrole é fazer compromissos e estabelecer metas e prazos para realizar seus objetivos.

 

"Quase todo mundo tem problemas com procrastinação, mas aqueles que reconhecem e admitem suas fraquezas estão em uma posição melhor para usar as ferramentas disponíveis para se comprometerem e, ao fazê-lo, acabam colaborando para o próprio sucesso", explica Dan Ariely em "Previsivelmente Irracional".

 

No caso da dieta, você pode começar junto com o cônjuge ou namorado. É uma forma de se comprometer de antemão com o seu objetivo. O mesmo vale para exercícios: por que não montar um grupo de corrida? A presença (e cobrança) de outras pessoas ajuda a nos manter em linha com nossos planos de longo prazo, por mais que a alternativa (uma tigela de brigadeiro no sofá para assistir TV) pareça muito mais interessante no curto prazo.

 

Um exemplo bem-sucedido é o dos Vigilantes do Peso, cujo programa combina uma dieta simples (funciona por pontos) com o comprometimento do grupo. Nas reuniões, os membros se pesam na frente de todos. Com esse mecanismo, os exageros são controlados, pois ninguém vai querer ser o único que não conseguiu emagrecer. O comprometimento (e monitoramento) do grupo são uma arma importante para reforçar o autocontrole.

 

 

Samy Dana possui Ph.D em Business, doutorado em administração, mestrado e bacharelado em economia. Atualmente é professor na Escola de Administração de Empresas de São Paulo da FGV, criador e coordenador de do Núcleo de Cultura, Criatividade e Comportamento - GVcult. É consultor de empresas nacionais e internacionais dos setores real e financeiro e de órgãos governamentais. Dana é autor dos livros "10x Sem Juros" (Saraiva), em coautoria com Marcos Cordeiro Pires, "Como Passar de Devedor Para Investidor" (Cengage), em coautoria com Fabio Sousa e "Estatística Aplicada" (Saraiva), em coautoria com Abraham Laredo Sicsú.