FGV realiza Fórum de Saúde em BH

FGV realiza Fórum de Saúde em BH

Data de publicação: 24/06/2016

FGV REALIZA FÓRUM DE SAÚDE EM BH


Evento voltado à formação de lideranças do setor reúne especialistas para debater sobre Inovação, Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológicos

 

Saúde é direito de todos. E é dever do Estado, conforme escrito na Constituição brasileira. No entanto, será preciso caminhar a passos mais largos para que tal prerrogativa ultrapasse os limites da teoria e se traduza em ações efetivas que assegurem tratamentos dignos e bem estar da população brasileira.

 

Mais do que uma questão de vontade política, o problema de saúde pública no país é de gestão, e não se trata, neste caso, de entregar a fatura a um ou outro governo, mas de repensar estratégias e processos que integrem poder público, iniciativa privada e instituições geradoras e disseminadoras do conhecimento, acredita a coordenadora do MBA em Gestão da Saúde da Fundação Getulio Vargas/Faculdade IBS, Tânia Furtado. Ela comandará o 1º Fórum FGV de Excelência da Liderança Executiva na Saúde, que a instituição realizará em Belo Horizonte no próximo dia 29, a partir de 18h30, na Unidade Cidade Jardim.

 

Na mesa de debates, estarão a Dra. Paôlla Perdigão, Diretora de Planejamento e Gestão Estratégica do Instituto D`Or de Pesquisa e Ensino; PhD em Medicina Molecular pela UFMG; e o Dr. Carlos Gil Ferreira, médico oncologista clinico (INCA); Diretor Institucional da Oncologia D`Or; Coordenador da Oncologia do IDOR e PhD em Biologia Molecular Aplicada pela VrijeUniversiteit Amsterdam.

 

De acordo com Tânia Furtado, a proposta do encontro é debater um tema que faz parte da formação e desenvolvimento para gestores e detentores dos cargos executivos na área de saúde, na produção de lideranças da saúde em níveis nacional e internacional. “Focamos neste evento a especificidade de um nicho de mercado na área de inovação, pesquisa clínica e implementação de novos investimentos e investidores na saúde”, esclarece.

 

Em sua participação, a convidada Paôlla Perdigão promete trazer à tona questões relevantes sobre o Novo marco legal da Ciência, Tecnologia e Inovação: discutindo sobre captação de investimentos e desafios nas empresas, no governo e na academia. “Ele permite que as empresas privadas trabalhem mais próximas às universidades e considerando a cadeia de inovação (pesquisa, desenvolvimento e mercado) isso favorece a criação de um ambiente mais propicio para inovar. Para os profissionais de saúde, a ambiência de cultura de inovação facilita os processos da cadeia de inovação, pensar no marco da inovação e em oportunidades para o mercado de saúde”, explica. 

 

Para a executiva, a cultura, o modelo e ambiente de inovação devem extrapolar o marco legal, as políticas públicas e a dinâmica atual do mercado de saúde, pois dessa forma a criatividade poderá levar ao desenvolvimento econômico. “Os profissionais de saúde terão oportunidades de realizar excelentes negócios, se desenvolverem inteligência competitiva e de mercado voltado para inovação”, acredita Perdigão.

 

Na sequência, Carlos Gil Ferreira apresenta Estratégias locais de Inovação como instrumento de acesso em Oncologia. “O acesso a novas tecnologias em saúde no Brasil tem sido feito com algum retardo em relação aos países desenvolvidos, sobretudo no âmbito do SUS”, reconhece o especialista.

 

“Tomando a oncologia como exemplo, temos um atraso de mais de uma década no acesso a diagnóstico molecular e drogas alvo no âmbito público. Isso custa vidas e qualidade de vida aos pacientes brasileiros’ lamenta Gil Ferreira.

 

A explicação, segundo o especialista, está, em parte, no fato de que praticamente 100% dessas tecnologias são importadas e a inovação no setor de saúde no Brasil é quase inexistente. “Modelos conceituais inovadores parecem ser a única alternativa no curto prazo”, acredita.

 

Ele antecipa que, durante o evento, serão apresentados exemplos de programas e projetos que vêm sendo discutidos e desenvolvidos, visando melhorar o acesso a essas novas tecnologias.

As vagas para o 1º Fórum de Saúde são limitadas e as inscrições são gratuitas, mas devem ser feitas com antecedência pelo site www.ibs.edu.br/eventos. 

Inscreva-se gratuitamente aqui