IBS/FGV Montes Claros é destaque na Revista Mais Formaturas

IBS/FGV Montes Claros é destaque na Revista Mais Formaturas

Data de publicação: 12/06/2012

Pós Graduação
O sucesso é mais adiante!

 

Leia aqui a matéria na página da revista

 

Diploma na mão! E agora? Muita gente ainda fica em dúvida sobre o que fazer para enriquecer sua carreira. Para falar sobre isso, convidamos Vanessa Narciso, Gerente da IBS, conveniada à Fundação Getulio Vargas em Montes Claros.

 

MF: Qual a ordem de títulos após a graduação?
Vanessa: Por graduação, entende-se a formação em nível superior seja como tecnólogo, licenciado ou bacharel. Concluída essa etapa, inicia-se o processo da pós-graduação, que é dividida em dois níveis: o lato sensu e o stricto sensu. No caso do lato sensu, o aluno cursa uma especialização - carga horária mínima de 360h/a - e realiza um Trabalho de Conclusão de Curso, que não precisa passar por uma banca avaliadora. Já o stricto sensu compõe-se de mestrado e doutorado, sendo que o mestrado tem duração média de dois anos e meio, com disciplinas relacionadas à área escolhida, e culmina com a apresentação de uma dissertação produzida pelo aluno e defendida perante uma banca formada por estudiosos da área. Para se tornar Doutor, o caminho é mais longo: são cerca de quatro anos, também incluindo disciplinas específicas, realização de pesquisa e elaboração de uma tese. Esses trabalhos são acompanhados e orientados por professores que possuem grau acadêmico acima do pretendido pelo aluno e, por isso, o esforço certamente será recompensado. Tanto no caso do Mestrado quanto do Doutorado, são graus dirigidos a alunos que buscam conhecimentos científicos e acadêmicos, com perfis de pesquisadores.

 

MF: Quais os principais motivos para ter um diploma de pós-graduação?
Vanessa: Trata-se do primeiro passo para conquistar uma formação diferenciada, que irá colocar o profissional em destaque, apto a oferecer aquele “algo mais” que as empresas estão buscando na hora de definir as contratações.

 

MF: Como funcionam os cursos de Pós-Graduação e como escolher o mais indicado?
Vanessa: O primeiro cuidado é verificar se a instituição escolhida possui reconhecimento no mercado, pois caso contrário o egresso pode ser preterido na hora de ser contratado ou promovido. É bom refletir sobre qual curso está mais alinhado com o plano de carreira definido pelo candidato e fundamental que essa escolha reflita seus objetivos profissionais. Então, é partir para a análise do corpo docente que irá ministrar o curso, porque aí estará toda a diferença na formação que ele espera ter com a pós-graduação escolhida.

 

MF: Como fazer para ingressar em um curso de Pós-Graduação?
Vanessa: É condição mínima o comprovante de que já concluiu a graduação. Os critérios irão variar de acordo com as normas de cada instituição. Geralmente, é necessário passar pela avaliação do currículo profissional, entrevista com a coordenação e redação de uma carta de solicitação. No caso da Fundação Getúlio Vargas, a experiência profissional na área escolhida tem um peso muito grande.

 

MF: Quais são as modalidades de pós-graduação?
Vanessa: Pode-se subdividi-las em duas categorias: presencial e a distância, mais conhecida como EAD. É oportuno enfatizar que trata-se de propostas diferentes e não excludentes. O aluno é que precisa se conhecer para escolher a que melhor atende ao seu perfil. Se ele é uma pessoa metódica, disciplinada com o tempo, é proativa, sabe estabelecer objetivos e tem espírito empreendedor, será bem sucedido em qualquer modelo de ensino que adotar. Se ainda precisa desenvolver esse perfil, tem uma razão a mais para continuar os estudos, porque serão características essenciais para a sua empregabilidade.

 

MF: Pós-graduação pode fazer a diferença em concursos?
Vanessa: Sem dúvida, sim. Os próprios editais geralmente já trazem regras de pontuação conforme o grau acadêmico. E deve-se considerar que, quem tem uma pós desenvolveu competências e habilidades que podem ser determinantes: ele aprendeu a ser mais focado, desenvolveu capacidade de análise mais apurada, foi incentivado a pensar criticamente a realidade, está antenado nas tendências do mundo e da região onde vive.

 

Dicas para quem decidiu fazer especialização

 

• Converse com profissionais bem sucedidos da sua área de interesse e busque identificar aspectos relacionados à formação deles que estejam alinhados com os seus objetivos. Para isso, é fundamental que você saiba claramente aonde quer chegar;

 

• Se você já tem domínio de outro idioma, começou bem. Mas o seu diferencial verdadeiro será se dominar uma terceira língua;

 

• Frequente palestras e eventos relacionados à sua área, que irão ampliar sua rede de relacionamento e manter sua mente aberta às novidades;

 

• Ler ainda é a forma mais assertiva de manter seus conhecimentos – e o seu bom português – em

dia. Invista na leitura de jornais, revistas, livros relacionados à sua área de atuação;

 

• Cuide bem da sua imagem, especialmente na exposição em redes sociais. Twitter e Facebook são ótimos canais de relacionamento, onde você poderá se mostrar como um profissional confiável e bem preparado. Ou parecer uma pessoa fútil, destemperada, sem objetivos claros e de posturas questionáveis. Cuidado com você mesmo: o caminho foi árduo, até você se tornar um bacharel.